Brasília, 11 de julho de 2020
 
 

CSA s celebram novo Ponto de Convivência na sede da Adasa

Comunidades que Sustentam a Agricultura utilizam espaços para trocar alimentos e fortalecer laços entre coagricultores e agricultores

Membros das Comunidades Brotos d´Água e Bela Vista.

A inauguração do novo espaço do Ponto de Convivência da Adasa, que reúne as Comunidades que Sustentam a Agricultura (CSA) Brotos d´ Água e Bela Vista, uniu membros das duas comunidades, suas famílias e convidados em torno de uma mesa com guloseimas e sucos funcionais preparados com alimentos orgânicos colhidos das terras dos agricultores Sandro e Inês e William e Elisângela.

As duas CSA s se formaram há 4 meses graças a parceria entre a Agenda Ambiental da Adasa e a Associação dos Produtores Agroecológicos do Alto São Bartolomeu – Aprospera. Atualmente 32 coagricultores garantem o apoio à produção agroecológica das famílias de agricultores da sua CSA, no assentamento da reforma agrária Oziel Alves III, em Planaltina. “O modelo de organização de uma CSA vai muito além de um grupo de pessoas que se alimenta de maneira mais saudável, aqui o coagricultor faz parte do processo decisório da plantação, troca experiências e conhecimentos com os outros membros da comunidade e cria um apreço por tudo o que representa aquele alimento”, explica Marcela Palma, uma das gestoras das CSA s.

“Saber a qualidade do produto, conhecer a terra, a família do agricultor, ajudar a colher, saber que é um produto sadio, tudo isso faz diferença na forma como o co-agricultor se relaciona com o alimento”, avalia o agricultor Sandro da Silva, que integra uma das duas comunidades que tem os funcionários da Adasa como parceiros. “A CSA é importante para que o co-agricultor conheça de onde está vindo o produto consumido e, para a gente, é importante porque nós estamos plantando e não estamos perdendo, sabemos para quem vamos repassar”, ressalta.

“Eu acho essa proposta superinteressante”, avalia a servidora da Adasa e co-agricultora Carolinne Gomes. “Ao mesmo tempo que a minha alimentação melhorou muito, eu estou ajudando o desenvolvimento rural sustentável financiando a produção da CSA Brotos d´Água. A relação é de mão dupla, é bem que vai e vem”, concluiu. “A gente planta com prazer por ter a certeza que tem alguém que vai receber aquele alimento, sem o risco de, como aconteceu muitas vezes, perdermos a produção por não conseguir vender a tempo”, reforça Sandro da Silva.

A coagricultora Melissa é a maior consumidora dos orgânicos que a família recebe.


CSA – DA CULTURA DO PREÇO PARA A CULTURA DO APREÇO

A CSA é uma forma de organização de consumo baseada no conceito de escultura social e na ideia de economia associativa do Rudolf Steiner. Na CSA um grupo de pessoas, também chamados de coprodutores paga um valor fixo mensal para os agricultores, que cuidam de sua lavoura e fornecem uma cesta de produtos orgânicos semanalmente para cada um dos membros. Dessa forma são eliminados os atravessadores, os produtores recebem uma renda segura e digna e os consumidores recebem produtos orgânicos de qualidade, da época, por valores acessíveis.

*CSA Brotos D'Água

Agricultores: Inês, Sandro e Dona Zezé.
Ponto de convivência: ADASA (área externa). Antiga Rodoferroviaria.
Dia de entrega: 3a feira das 16h30 às 19h30

*CSA Bela Vista

Agricultores: William e Elisangela
Ponto de convivência: ADASA (área externa). Antiga Rodoferroviaria.
Dia de entrega: 3a feira das 16h30 às 19h30

A CSA Brotos D’Água e a CSA Bela Vista estão com cotas em aberto. Interessados em informações devem encaminhar e-mail para a3@adasa.df.gov.br.

Conheça mais sobre CSA em:

http://www.csabrasil.org/csa/

https://csabrasilia.wordpress.com/

Instagram: CSA Brotos d Água & Bela Vista